[ATUALIZADO] Estudo inédito faz um raio-X do radioamadorismo no Brasil

[ATUALIZADO] Estudo inédito faz um raio-X do radioamadorismo no Brasil

Publicamos abaixo um estudo inédito realizado pelo colega radioamador Ricardo Benedito, PU2RKA, com a colaboração da LABRE, no qual é feito um verdadeiro “raio-X” no radioamadorismo do Brasil, chamado “RADIOAMADORES E ESTAÇÕES NO BRASIL: QUANTOS SÃO E ONDE ESTÃO? ESTUDO DOS DADOS ABERTOS DA ANATEL ATÉ 2019”.
ATUALIZAÇÃO: Atendendo a pedidos, foi acrescentado ao estudo com uma terceira parte complementar contendo dados sobre as mulheres radioamadoras (YLs) e sua distribuição.
Tomando como base dados oficiais publicados pela ANATEL, o trabalho é composto por diversos gráficos contendo informações antes desconhecidas por nós, o que irá colaborar para que a LABRE possa conhecer melhor os radioamadores brasileiros e sua distribuição em todo o território nacional.
Dividido em duas partes, na primeira é tratada a questão do número de radioamadores brasileiros, composto apenas por pessoas físicas portadoras de COER, e na segunda parte, as estações licenciadas, cujas outorgas podem também incluir clubes, associações e outras pessoas jurídicas. Nos gráficos, de fácil entendimento, Ricardo lista a quantidade de radioamadores e de estações licenciadas por estado, por cidade, por 100 mil habitantes, por classe, etc. Há até um curioso gráfico contendo os nomes mais comuns no radioamadorismo.
Ricardo, que é professor do Curso Engenharia de Energia da Universidade Federal do ABC e tornou-se radioamador recentemente, elaborou o estudo e gentilmente o remeteu à LABRE. Após alguns pequenos ajustes, apresentamos agora aos radioamadores brasileiros. Para baixar o estudo, clique no link abaixo:

A LABRE agradece ao colega Ricardo PU2RKA pelo excelente serviço prestado ao radioamadorismo brasileiro e pela confiança em compartilhá-lo conosco.

Comentários (25)

  • NEWTON FERNANDO VETERI Reply

    Muito bom termos um trabalho desse. Vou imprimir para ler e estar atendendo ao nosso hobby.

    5 de julho de 2020 at 17:26
  • Luiz Carlos de Miranda Reply

    Ótima ideia para atualizar os números.
    Na verdade sou Sócio Remido da Labre
    SP.

    5 de julho de 2020 at 17:41
  • Francisco Jacson Reply

    Em 2018 eu fiz um levantamento com gráfico dos Radioamadores do Estado do Rio de Janeiro. Resultado
    9% Radioamadores classe B
    17% Radioamadores classe A
    74% Radioamadores classe C
    Publiquei nas Redes sociais, mas pelo que parece não deram muita atenção para esse fato gravíssimo do Radioamadorismo no BRASIL. Minha opinião: Ou retiram a prova de CW para promoção à classe B, conforme nos Estado Unidos, ou estaremos, em muito pouco tempo com apenas duas classe de radioamadores no BRASIL. C e A.

    5 de julho de 2020 at 17:50
  • Adeilson Gomes da Silva Reply

    Sou associado e espero ser, um dia, associado remido em função do tempo ininterrupto de associação.

    5 de julho de 2020 at 18:09
  • LUIZ FERNANDO PESCE Reply

    Parabéns ao colega Ricardo PU2RKA e a LABRE por essa iniciativa.
    Eu gostaria de pedir que, se for possível, fizessem um estudo com a distribuição dos colegas labreanos por estado e, se não for trabalhoso, por município.
    Um forte 73
    Pesce (Peixe)

    5 de julho de 2020 at 18:31
  • Aníbal COUTO Gondim Reply

    Radioamador desde 1977.

    5 de julho de 2020 at 18:39
  • JEFERSON GAIO Reply

    Nada a declarar

    5 de julho de 2020 at 18:49
  • JOÃO IGNACIO VIEIRA Reply

    Parabéns pela qualidade do estudo, mas qual é a conclusão do mesmo?

    5 de julho de 2020 at 19:07
  • Alexandre Deves Sailer Reply

    Interessante estudo. Há 8 anos atrás tinhamos 36mil radioamadores, em 8 anos, um aumento de só 3mil???? Achoque os representnates devem tentar mudar legislação. Minha sugestão: CLasse C, manter. Classe B – proceder comprovação de X Horas de pratica operativa acompanhada por uma associação de rádio, devidamente licenciada e regularizada. Fazer provas de Legistação, radioeletriciade. Aqui teriamos uma transforamção grande, mais gente se interessando pelo radioamadorismo de forma ética resultado da pratica operacional orientada. Além disto, estariamos sendo os verdadeiros instrutores dos novos radioamadores. Se der errados, somos os culpados, por naõ orientarmos direito os novos colegas. Classe A, manter. A questão do CW, faz quem quer, não vai deixar de existir jamais. É sabido que no mundo existam mais radioadores telegrafiscas que operadores de fonia.

    5 de julho de 2020 at 19:27
  • Geraldo Magela Martins Barros Reply

    Parabéns ao colega Ricardo PU2RKA
    PELA bela iniciativa.
    Muito bom.

    5 de julho de 2020 at 20:33
  • Edival Silva dos Santos Reply

    Sou fascinado pela rádio transmissão o rádio amadorismo é minha paixão

    5 de julho de 2020 at 21:23
  • Cassiano Mendonça Reply

    Hoje pela movimentação que vejo da Labre em prol dos radioamadores, até tenho vontade de colaborar

    5 de julho de 2020 at 21:58
  • Geraldo meira Reply

    Parabens ao presidente da labre e os idealizadores deste tipo de prova pois fiz a minha em 2.000 como moro em minas nao tinha como saber se fui aprovado ou nao fiquei aprovado mas nao sei pra onde foi o meu prefixo zz1 da epoca comoconsultei um colega e ele disse que era impossivel recuperar a minha licença entao vou tentar essa on line

    5 de julho de 2020 at 22:05
  • Sebastião Teixeira Martin Reply

    Como faço pra passar para pu9
    Porq eu fiquei tempo fora do rádio.
    Ouve uma imigração do zz para o pu. A Anatel aqui do estado de mato grosso do sul é complicado.se alguém puder me ajudar eu agradeço.

    5 de julho de 2020 at 22:12
  • HELIO VALDOCIR MACHADO Reply

    A Labre eu acho que é um órgão necessário ao Radioamadorismo por isso sou sócio.

    6 de julho de 2020 at 00:20
  • Marcelo Gomes de Oliveira Reply

    Com a estação desativada no momento..assim que reativar me associo

    6 de julho de 2020 at 05:20
  • Francisco Adenauer dos Santos Reply

    Gostei dos insentivos aos Rsdiosmadores…

    6 de julho de 2020 at 08:06
  • Jose antonio Reply

    O servico de radio amadorisno no brasil tem qie continuar com forca total suprimindo as estacao pirata e a venda de qualquer tipo de aparelho de radio fusao , para quem nao e radio amador sem qual tipo de indicativo valido pela anatel, e tambem o ensino nas escola do radio amadorisno , para que tenos um pais melhor.

    6 de julho de 2020 at 08:30
  • Ervandil Martins da Silva Reply

    Muito obrigado pelo levantamento de dados que faz com que lutemos para que o Radioamadorismo não acabe no Brasil. O Radioamadorismo foi e continua sendo de utilidade publica. Cordiais saudações

    6 de julho de 2020 at 09:30
  • JOSE WILSON FERREIRA DA SILVA Reply

    Gostaria de ver uma Labre mais simples e humanizada como era nós anos 90, quando um radioamador precisava de informação ou ajuda técnica era fácil de conseguir.

    6 de julho de 2020 at 14:49
  • MARCOS VIEIRA Reply

    Excelente trabalho do PU2 RKA Ricardo, parabéns para toda a equipe envolvida.

    6 de julho de 2020 at 15:02
  • WALTAIR APARECIDO DAMAS Reply

    Bom dia
    Qtc muito proveitoso
    73 a tds

    7 de julho de 2020 at 09:36
  • MARCOS VIEIRA Reply

    Mais uma vez o PU2 RKA nos surpreende com essa complementação.
    As YLs (radioamadoras) brasileiras devem ter lugar de destaque e ser muito bem valorizadas.
    Parabéns a todos envolvidos especialmente a LABRE pela divulgação.
    73”s

    7 de julho de 2020 at 16:18
  • Helmut Reply

    Parabéns, O estudo fornece uma boa visão sobre a estrutura do radioamadorismo no Brasil . É certamente uma ajuda importante para o trabalho da LABRE.
    Aqui na Alemanha, a Bundesnetzagentur ((Reguladora de Telecomunicações, comparável à ANATEL) mantém há já algum tempo entre outras estatísticas sobre :
    – o número de participantes no servico de rádio amador
    -o número de provas de rádio amador realizadas por classe,
    -a estrutura etária dos titulares de uma licença para participar no servico de rádio amador
    ver 🙁 https://www.bundesnetzagentur.de/cln_1412/DE/Sachgebiete/Telekommunikation/Unternehmen_Institutionen/Frequenzen/SpezielleAnwendungen/Amateurfunk/amateurfunk_node.html )
    Com base nestas estatísticas, o Clube Alemão de Radioamadores, (DARC, comparável à LABRE) é capaz de avaliar o desenvolvimento do rádioamadorismo na Alemanha e de orientar o seu trabalho em conformidade.Talvez a ANATEL pudesse produzir estatísticas semelhantes.

    15 de julho de 2020 at 13:21

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Skip to content